Resposta à enquete: árvores em florestas desabitadas

Durante vários meses mantivemos na página principal do site (www.ineditacursos.com.br) uma enquete sobre a capacidade de árvores que caem em florestas totalmente desabitadas fazerem ou não barulho. Essa é uma antiga pergunta que provoca antagonismo em correntes filosóficas. De um lado, Hume diria que só se pode saber se a árvore faz barulho caso haja alguém lá para fazer o registro. Como a ausência de qualquer um de nós se faz necessária no contexto da questão formulada,  não há resposta para esta pergunta. Descartes, de outro lado, diria que baseado no fato de que em nossa experiência árvores geralmente fazem barulho quando caem, podemos afirmar que elas continuarão fazendo barulho mesmo que nenhum de nós esteja lá para conferir. As respostas que obtivemos no site mostram que há muito mais influência de Descartes do que de Hume no pensamento contemporâneo. 43,5% das respostas são “sim, ela faz barulho” e somente 2,06% responderam que “não há resposta”.

Curiosamente, 46,39% dos frequentadores do site da inédita responderam “ela emite ondas sonoras e não faz barulho”. Barulho e som são sinônimos, mas som e ondas sonoras não são. Para a ocorrência de ondas sonoras há a necessidade de que uma matéria (no caso o ar) seja perturbada por outra (s) (no caso a árvore caindo no chão). Assim, ondas sonoras não ocorrem no vácuo e não dependem de um ouvinte para existirem.

Sim, a resposta que mais afina com a neurociência e com a ciência de um modo geral é essa: “ela emite ondas sonoras e não barulho”. Para que uma árvore faça barulho ou som ao cair no chão é necessário um receptor para essas ondas sonoras (no caso, a orelha humana ou de outro animal). Somente com um receptor adequado as ondas sonoras se transformam em som e só, a partir de um sistema de processamento competente, esse som ganha um significado.

Mas alguém poderia dizer que outras árvores ou plantas podem ter receptores para ondas sonoras uma vez que já se pesquisou o efeito de músicas de diferentes estilos no crescimento e desenvolvimento de vegetais. Deliciosamente, diante disso, o questionamento fica ainda mais complexo. Será que é preciso transformar ondas sonoras em som para que elas influenciem um ser vivo? Uma planta pode ter receptores que transformam ondas sonoras em estímulos meramente mecânicos e isso justificaria a influência das ondas sonoras neste tipo de ser vivo.

Ficamos felizes em saber que as ciências naturais têm influenciado as pessoas e produzido pensamentos que vão além do senso comum. Se pudermos contar com a ajuda das ciências humanas podemos chegar cada vez mais perto das perguntas mais difíceis de responder.

Agradecemos aos frequentadores do site que responderam a enquete. Continuem contribuindo e não deixem de comentar suas respostas às nossas enquetes.

2 Comments

  1.   maio 20, 2011 at 12:24 AM

    Como diria Amit Goswami, este som só existiria a partir do momento que algum ser possa colapsar este evento e torna-lo consciente

  2.   maio 25, 2011 at 7:21 AM

    Otima contribuição. Um abraço.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.