Neurônios “gigantes”

Deixamos por 5 meses, no site (www.ineditacursos.com.br) uma enquete sobre quantos neurônios seriam necessários para que uma informação motora proveniente da medula espinhal atingisse a fibra muscular alvo desta informação. Sendo estruturas microscópicas e que se comunicam através de sinapses, não é raro que, as pessoas acreditem que é necessária uma cadeia composta por incontáveis neurônios para que a distância entre a coluna vertebral e os músculos do pé (por exemplo) seja percorrida.

Costumo surpreender meus alunos com esta informação: um neurônio motor inferior tem seu corpo celular localizado na medula espinhal e seu longo axônio percorre distâncias superiores a um metro dentro de nervos e correndo em paralelo com milhares de outros axônios de neurônios longuíssimos. Aí, parece que quase instantaneamente a pessoa, de posse desta informação, retira o neurônio da categoria de coisas microscópicas: como algo de um metro de comprimento pode ser microscópico? Parece incrível e fantasioso mas é assim: neurônios são células microscópicas com prolongamentos que podem atingir o tamanho de 1m. E, basta um único neurônio para que um estímulo proveniente do sistema nervoso central alcance uma fibra muscular esquelética. Um único, longo e microscópico neurônio.

Nas respostas obtidas aqui as opiniões se dividiram. Metade das pessoas que responderam nossa enquete, afirmaram que o número de neurônios necessários para transpor esta distância seria incontável. Outra metade afirmou que um único neurônio seria necessário.

Porém, vale a pena aprofundar um pouco mais nossa discussão. O que chamamos de informação neural? Se considerarmos que qualquer transmissão nervosa efetuada por um neurônio seja uma informação neural (conceito mais correto), então um único neurônio é mesmo a resposta correta. Porém, se quisermos considerar que a informação neural em questão só é válida quando gerar uma resposta observável (movimento), aí serão necessários muitos longuíssimos neurônios viajando em paralelo em nervos periféricos para que um movimento seja executado.

Mas o que de fato me fez escolher este tema para uma enquete foi a constante surpresa que sinto quando inquiro meus alunos sobre o assunto. Costumo receber nos cursos de extensão da Inédita e nas faculdades também, alunos que já passaram por disciplinas da área da saúde em que a morfologia e a fisiologia do sistema nervoso já foram estudadas. Porém, a forma como esses conhecimentos são trabalhados deixa uma lacuna tão grande que os alunos ficam realmente atrapalhados com esta informação. Assim repito: a distância entre o sistema nervoso central e cada uma das fibras musculares esqueléticas é transposta pelo axônio de um único neurônio. Agora quando o assunto é a relação do sistema nervoso central e as fibras de músculo liso (intestinos, bexiga urinária, etc) ou fibras de músculo cardíaco não é bem assim. Mas isso é assunto para outra hora.

3 Comments

  1. Daniela Pereira Rodrigues
      março 9, 2012 at 4:47 PM

    Falou e disse Professora. Lendo tudo isso fiquei só pensando nas aulas de Sistema Nervoso que você deu.. haha
    Parabéns pelo blog, vou visitar aqui sempre !

  2.   março 12, 2012 at 9:00 AM

    Fico muito feliz em encontrá-la por aqui. Venha sempre, comente, participe! Este espaço é para vocês. Abração!

  3. ÉRIKA
      agosto 14, 2013 at 1:35 PM

    Muito interessante… (ser microscópica com 1 metro de comprimento). É incrível. Muito obrigada por realmente preencher esta lacuna de entendimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.